Designação do projeto

Operação POSEUR-02-1809-FC-000047

Objetivo principal

Promover a Adaptação às Alterações Climáticas e Prevenção e Gestão de Riscos

Região de intervenção

Albergaria-a-Velha: Freguesia de Angeja
Aveiro: Freguesia de Cacia; Freguesia de Esgueira; Freguesia de São Jacinto; União das Freguesias de Glória e Vera Cruz
Estarreja: Freguesia de Pardilhó
Ílhavo: Freguesia de Gafanha do Carmo; Freguesia de Gafanha da Encarnação; Freguesia de Ílhavo (São Salvador)
Murtosa: Freguesia de Bunheiro; Freguesia de Murtosa; Freguesia de Torreira
Ovar: União das Freguesias de Ovar, São João, Arada e São Vicente de Pereira Jusã; Freguesia de Válega
Vagos: Freguesia de Gafanha da Boa Hora; Freguesia de Sosa; União das Freguesias de Vagos e Santo António

Entidade beneficiária

Polis Litoral Ria de Aveiro - Sociedade para a Requalificação e
Valorização da Ria de Aveiro, S.A. - em Liquidação

Mapa de intervenção
Data de aprovação
26-06-2017
Data de início
01-06-2014
Data de conclusão
15-07-2019
Custo total elegível Fundo de Coesão

23 455 778.32 €

Apoio financeiro da União Europeia

17 591 833.74 €

Apoio financeiro público nacional

5 863 944.58 €

Objetivo

A necessidade da realização desta intervenção prende-se em primeira instância com a necessidade de reforçar as margens em zonas baixas ameaçadas pelo avanço das águas, para proteção de pessoas e bens e de restabelecer o fornecimento de sedimentos ao litoral, e, complementarmente, contribuirá para a melhoria das condições de navegação na ria e de acessibilidade a alguns dos cais, bastante assoreados, bem como para manutenção de um caudal ecológico, de forma a preservar os ecossistemas.

Natureza dos trabalhos a realizar

A operação de Transposição de Sedimentos para Otimização do Equilíbrio Hidrodinâmico na Ria de Aveiro consiste na dragagem dos canais da Ria de Aveiro, adotando o cenário 1 - Global, conforme exigido na Declaração de Impacte Ambiental, ou seja, para cotas entre -1,0 ZH e -0,5 ZH, para a totalidade dos canais (e com cotas de acesso a cais entre -0,5 ZH e +0,5 ZH), com exceção do troço a sul da ponte da Vagueira (no canal de Mira), que será dragado à cota +0,5 ZH (até à Praia do Labrego) e +1,5 ZH até à Ponte do Areão, para promover um caudal ecológico tendo em vista a preservação da Ria. As zonas a dragar serão o Canal de Ovar até ao Carregal e a Pardilhó, o Canal da Murtosa até ao Chegado/ Cambeia, o Canal de Ílhavo/ Rio Boco, Lago do Paraíso e Zona Central e o Canal de Mira.

Os dragados provenientes dos vários canais da Ria serão depositados nas margens, em zonas baixas ameaçadas pelas cheias, para proteção de pessoas e bens. No Canal de Mira e no Canal de Ovar (até ao Carregal), para além dos depósitos previstos nas margens, parte dos sedimentos será depositada na zona de rebentação (praia imersa), de forma a lavar o sedimento e reforçar a deriva litoral, com vista à minimização de efeitos erosivos nestes troços particularmente ameaçados.

Principais ações a realizar

A implementação da ação de Transposição de Sedimentos para Otimização do Equilíbrio Hidrodinâmico na Ria de Aveiro visa os seguintes trabalhos: dragagem e deposição de inertes nas margens e no mar, incluindo a instalação das tubagens e equipamentos necessários à repulsão, sua manutenção e retirada.

No Canal de Mira e no Rio Boco (Canal de Ílhavo) a obra inclui a empreitada de rebaixamento das condutas de saneamento nesses canais.

Resultados esperados/atingidos

METAS 2019

8.00 km
0.00 km
Extensão da faixa costeira intervencionada para proteção de pessoas e bens
130 225.00
0.00
População que beneficia de medidas de prevenção e gestão de riscos naturais relacionado com o clima
8.00 km
0.00 km
Faixa costeira intervencionada por reposição do ciclo sedimentar
1 064 302.00 m3
0.00 m3
Volume de sedimentos a movimentar nas operações de reposição do ciclo sedimentar e de alimentação artificial de troços costeiros
5.80 %
0.00 %
Linha de costa em situação crítica de erosão com situação melhorada após a intervenção
Resultados esperados
Resultados atingindos